Coaching e Mentoring – Entenda as diferenças, e escolha com critério

Coaching e Mentoring.

Mentoring e consultoria.

Consultoria e empreendedorismo.

Nesse emaranhado de palavras, pode parecer apenas um jogo de conceitos desconexos, mas todos eles fazem sentido entre si, apesar de não serem a mesma coisa.

Já falamos algumas vezes sobre esses assuntos, mas é sempre bom dividirmos e explicamos diretamente o que é o coaching e mentoring.

Até porque se você precisar de um ou de outro, é bom entender quais são as ações de cada tipo de profissional.

Antes de começarmos, para você entender o que é o trabalho da mentoria, sugiro que leia o nosso post sobre as principais dúvidas do programa de mentoria.

Muito do que ressaltarei aqui estará mais aprofundado nele.

Então se você quiser realmente entender o que é coaching e mentoring, sugiro dar uma lida no artigo!

De qualquer forma, com o conteúdo que criei abaixo, ficará mais fácil de você entender o que é cada uma dessas coisas, e como elas podem nos ajudar a chegar aonde queremos.

Vamos dividir esse post em 3 etapas:

  • explicarei o que é autodesenvolvimento, desenvolvimento assistido e mentoring
  • explicarei a diferença de coaching para mentoring
  • explicarei as principais ações da mentoria na vida do mentorado

No final do texto você poderá entender claramente o que é um programa de mentoring, e se ele se aplica a você.

Ou, de repente, se a sua parada é procurar um coach mesmo.

De qualquer forma, você entenderá muito bem a diferença dos dois e poderá tomar uma decisão mais consciente.

Qualquer dúvida ou sugestão que tenha, é só deixar nos comentários abaixo.

Bora lá!

O que é autodesenvolvimento e qual a diferença para coaching e mentoring?

A definição de autodesenvolvimento é bem ampla.

Se eu fosse pontuar, diria que é o ato de adquirir e desenvolver novas e velhas habilidades, e melhorar hábitos e competências.

Para ter autodesenvolvimento é necessário foco + vontade + disciplina.

Uma pessoa que quer se tornar a melhor versão de si mesma, precisa ter uma visão 100% clara da sua meta e olhar todas as possibilidades e oportunidades em volta de si.

A estratégia é uma aliada do autodesenvolvimento.

Na verdade, a estratégia é um pilar para se autodesenvolver.

Ao passar da vida você verá diversas pessoas que não chegarão lá.

Essas pessoas não conseguem atingir seus  objetivos, ou achar a felicidade nas coisas que vão realmente amar.

É bem provável que falte a elas autoconhecimento e autodesenvolvimento.

Porém, essas mesmas pessoas que não conseguem se autodesenvolver podem procurar ajuda no desenvolvimento assistido.

Essa modalidade pode dar um up na sua vida pessoal e profissional.

Vejamos abaixo:

O que é desenvolvimento assistido:

O coaching como desenvolvimento assistido é um processo extremamente individual e particular, onde o coach e o coachee passam por uma jornada muito intensa de autoconhecimento, clareza, planejamento, estratégia e muita ação.

Durante as sessões o coach toma o papel de guia, e acompanha de perto cada uma das etapas do processo de evolução de seu coachee.

Por exemplo, eu como coach me especializei em fazer com que meus coachees conquistem uma “hiper produtividade” focada em resultados, e comecem viver em alta performance.

Tudo isso através de uma metodologia prática focada em trazer resultados alinhados com suas metas e objetivos.

O desenvolvimento assistido é uma ótima forma de começar a tirar suas ideias do papel e finalmente se colocar em ação de uma maneira muito mais assertiva e efetiva.

Você meio que deixa de lado o adiamento, e começa a conquistar os melhores resultados que já foi atrás, mas tudo com uma assistência, diferente do autodesenvolvimento em que você realiza tudo sozinho.

Se você simplesmente não consegue se autodesenvolver, não tem problema algum. Procure o desenvolvimento assistido.

Da mesma forma, se para você não é necessário um coach para te motivar e gerir suas ações, então talvez você esteja precisando de um mentor.

 O que é Mentoring:

Já a mentoria é uma espécie de tutoria.

Um profissional com muito mais background e experiência começa um plano de orientação e compartilhamento de dicas, ideias e “segredos” com profissionais mais novos, da mesma área.

A ideia é desenvolver esses novos profissionais, baseando-se na experiência dos antigos.

Supondo que um cargo específico traga barreiras específicas.

Alguém que já chegou lá e resolveu pode ajudar um novo profissional nesse percalço.

O mentor elimina essas barreiras por já ter passado por isso, diferentemente do coach que tem um trabalho bem mais amplo e aberto a qualquer problema na vida do coachee.

Outra diferença é o tempo de duração de cada programa.

Um programa de coaching tem uma definição exata, traçada nas primeiras sessões. 10, 12, até 15 sessões para a resolução de um problema ou atingimento de uma meta.

O mentoring não.

Ele não tem um tempo estabelecido.

Você pode procurar a mentoria a qualquer momento, e em quantas vezes forem necessárias.

Claro que pagando, né?

Diferenças entra coaching e mentoring:

Uma das diferenças principais, além das citadas acima, é que o coach não diz especificamente o que o seu coachee deve fazer.

Existe uma assistência (justamente por isso é chamado de desenvolvimento assistido), porém o caminho é totalmente percorrido pelo coachee.

Além disso, o coach não precisa ser da mesma área, ter as mesmas experiências que o cliente ou até mesmo ser mais velho.

O objetivo será apenas apoiá-lo na tomada de decisões, e não de fato comandá-las.

No mentoring, o profissional precisa já ter uma experiência maior para assumir esse papel.

Afinal, como alguém te dirá como atravessar uma ponte, se nunca a atravessou?

Por isso é importante entender a diferneça entre coaching e mentoring.

Você poderá escolher com mais critério.

COMO FUNCIONA A MENTORIA:

A mentoria é um processo que demanda comprometimento de ambas as partes (mentor/mentorado).

Como já dito acima, não tem um espaço de tempo definido.

Pode demorar 1 mês, ou 2 anos.

Tudo depende dos objetivos traçados.

Vamos olhar algumas perguntas-chaves que vão ajudar no entendimento da mentoria, como um todo:

1 – A MENTORIA FUNCIONA MELHOR EM ÁREAS ESPECÍFICAS DE NEGÓCIOS?

Não. Na verdade, qualquer pessoa pode buscar esse tipo de acompanhamento.

Independentemente da idade, cargo ou setor de negócios, tudo que você precisará é ser um iniciante em busca de conhecimento, e achar um mentor capacitado para te ajudar nas suas dúvidas profissionais.

2 – QUAIS FORMAÇÕES E CARACTERÍSTICAS UM MENTOR PRECISA TER?

De preferência uma formação parecida com a sua (mas não é uma regra), agora de característica, apenas uma: bagagem.

O seu mentor precisará sempre ser alguém com alguma experiência contextualizada com à demanda do mentorado.

Não ache que só por ele ser um profissional com anos de atuação, que ele será um bom mentor.

Mentorar não é só apontar uma direção.

É saber qual direção apontar, garantir que aquela seja a certa e que o mentorado dará tudo de si.

3 – QUAIS SÃO OS CUSTOS E TEMPO DE UMA SESSÃO DE MENTORIA?

São realizadas sessões (o que lembra o processo de coaching), aonde o mentor fala sobre suas experiências, entende um pouco mais sobre o mentorado e discute diversas ideias.

O processo pode ser dividido em 5, 8, 10 e até 12 sessões ao passar de um ano.

Os valores também são bem relativos, podendo ir de R$100/diária, até R$10.000/diária.

Tudo depende do objetivo, tempo e do mentor escolhido.

A escolha do objetivo também é um das principais diferenças entre coaching e mentoring.

Vejamos abaixo:

AS PRINCIPAIS FUNÇÕES DO MENTOR:

Um mentor pode ter diversas atribuições.

Isso dependerá exclusivamente do que ele se propõe a fazer, e quais é a área de atuação que ele está mentorando.

Por exemplo: se for um mentor da área de saúde, ele ajudará seu mentorado em dúvidas técnicas, sobre processos, sobre gestão, qualidade e relacionamento.

Agora, se já for um mentor da área de publicidade, ele ajudará seu mentorado em áreas técnicas, de comunicação, design, marketing e relacionamento com o cliente.

Cada caso é um caso e demanda um tipo específico de mentoria.

Porém, existem 3 ações primordiais em um programa de mentoria. Elas funcionam em praticamente qualquer área ou segmento. Vejamos abaixo:

  • Orientar – A orientação do mentor pode ser feita de diversas formas. Por conversas, treinamentos, dicas, instruções e por aí vai. A ideia é que ele torne a vida do mentorado mais prática, dando toda a orientação possível. Afinal, ele tem a know-how naquilo, e sempre poderá dar uma visão 360° sobre suas experiências
  • Aceitar e Compreender – Não há como existir um programa de mentoria, se o mentor não acolhe, aceita e compreende o mentorado. É necessário que o mentor o veja como alguém que precisa de ajuda técnica, e não faça nenhum julgamento sobre o conhecimento que o mentorado tem, ou não. Isso gera uma relação de confiança, aonde ambos se sentem à vontade para ser quem são e se desenvolvem mais.
  • Expor – Eventualmente o mentorado conseguirá atingir níveis ideias de evolução. Será parte do trabalho do mentor saber incentivá-lo a demonstrar que tem essas habilidades. Seja testando-as ou propondo novas ideias na empresa que ele trabalha. Independentemente de onde seja, o mentor precisa saber a hora de dizer: “vai lá e brilha, cara!

 Conclusão: E aí, entendeu a diferença entre coaching e mentoring?

Espero que eu tenha conseguido elucidar para você a diferença entre o coaching e o mentoring, e direcionado você para o caminho certo.

Lembre-se sempre: um mentor pode te ajudar profissionalmente, por tempo indeterminado, enquanto um coach pode te ajudar pessoalmente também, porém com um tempo estipulado.

Até a próxima!

Leave a comment